Fábrica do Saber, uma biblioteca modelo em Novo Hamburgo/RS

17.6.13

A ideia inicial era que a Biblioteca Fábrica do Saber fosse um ponto cultural e uma biblioteca modelo na cidade de Novo Hamburgo no Rio Grande do Sul. A idealização do projeto foi da Secretaria de Educação, e a partir daí o espaço já recebeu vários funcionários e chegou até a permanecer fechado durante um tempo. No fim do ano passado, por conta do trabalho que a professora Milene Barazzetti desenvolvia na  Biblioteca da EMEF João Baptista Jaeger, ela foi convidada para trabalhar na Fábrica do Saber em abril de 2013.


Como a biblioteca andava um pouco parada, foi pedido para que Milene revitalizasse o espaço. Assim, desde que ela chegou fez várias arrumações no acervo, foi em busca de livros em livrarias e editoras, descartou livros em mau estado, divulgou o local para as escolas da cidade e para as secretarias das cidades vizinhas. Hoje o acervo da biblioteca conta com 3500 livros.

Contação de Histórias
Milene Barazzetti: "Amo contar histórias, amo falar sobre literatura, amo ver o rosto daqueles que escutam as contações".

A Biblioteca Fábrica do Saber atende a comunidade com empréstimo de livros e pesquisa, realiza contações de histórias no local e também fora dele, com agendamento prévio, e promove eventos com escritores. A biblioteca recebe visitas das escolas da cidade e também de outras cidades, onde as crianças têm a oportunidade de participar de uma contação de histórias. A Profª Nícias Sauer que também trabalha na biblioteca, possui um grupo de teatro que tem ensaios toda semana. Milene coordena um grupo de poesia, que também se reúne semanalmente.


Cantinho da Literatura Infantil da Fábrica do Saber

Na Fábrica do Saber funciona um telecentro, local onde se pode acessar a internet para pesquisas, com uma monitora pela manhã e a tarde para auxiliar os usuários. A Biblioteca não possui CNPJ, é vinculada a EMEF Nilo Peçanha, mesmo não sendo considerada biblioteca escolar, já que essa escola tem a sua própria biblioteca interna, e por conta disso não recebe livros do MEC. Também não há destinação de verbas específicas para o local. A escola vizinha auxilia com a manutenção do espaço. Milene faz pequenas promoções para arrecadar fundos para comprar livros e outros materiais necessários.

A professora Nícias Sauer mantém um grupo de teatro na Fábrica do Saber e faz contação de histórias

Malas Literárias
A Biblioteca Fábrica do Saber tem um projeto intitulado "Malas Literárias". São 8 malas em média com 30 livros cada, que podem ser retiradas pelas escolas do município. Nas malas há livros juvenis e adultos. Atualmente há 5 malas que estão circulando pelas escolas.

Relato de Milene Barazzetti sobre seu trabalho com a literatura



"Sempre, desde criança amei muito a literatura. Minha mãe é professora de português e nos incentivou a ler desde pequenos. Sempre gostei muito de crianças também, por isso fiz o magistério no ensino médio. Terminei o magistério e no início trabalhava com alfabetização. No final da faculdade já comecei a trabalhar em um escritório de advocacia um turno e continuei sendo professora no outro. Foi aí que vi que gostava mesmo era de lecionar. Construí um trabalho muito legal nas turmas que lecionei na EMEF João Baptista Jaeger, que fica na periferia de Novo Hamburgo. Sempre meu trabalho teve maior destaque no mundo das artes e da literatura. Meus alunos eram ótimos leitores e escreviam muito, devido ao meu empenho e motivação. Por conta disso, em 2009, a diretora da escola me convidou para assumir a biblioteca escolar, tentando dar uma repaginada no espaço que estava meio abandonado. Assim, quando assumi a Biblioteca, montei um projeto com o título "A magia da Biblioteca Escolar: literatura e suas múltiplas possibilidades" que desenvolvi até o ano passado. No projeto havia vários subprojetos: 

Sacolas Literárias: sacolas com livros, uma por turma, com escala para alunos levarem para casa e ficarem uma semana ou mais.

Caixas de Leitura: 8 caixas com livros que eram disponibilizadas para turmas através de escala todas as semanas.

Empréstimo de livros: todos os alunos retiravam livros do espaço e permaneciam uma semana com o mesmo.

Contação de histórias: atendimento semanal de todas as turmas contando histórias e realizando trabalhos envolvendo a literatura. Ficava 1h15 com cada turma da escola, que tinha 10 turmas pela manhã e 10 turmas pela tarde, neste tempo também fazia o empréstimo de livros.

Grupo de Poesia: grupo de poesia com alunos voluntários que se apresentavam em eventos e escolas da região.

Contação de histórias em eventos da cidade: A partir desse trabalho comecei a ter destaque na mídia local e o ano passado o projeto foi selecionado pelo Canal Futura como "Projeto Amigo da Leitura". Ganhamos alguns materiais e foram feito dois eventos no espaço com as crianças da escola. O Canal Futura fez também pequenas reportagens, que ainda são veiculadas nos intervalos de seus programas sobre a Sacola Literária e a contação de histórias. Participei também de um programa Vídeo Debate, do Futura no Rio de Janeiro, sobre leitura e escrita também por conta desse trabalho".
 
 Materiais distribuídos aos visitantes da biblioteca

"Não foi algo fácil, pois mesmo envolvendo a escola, foi um projeto implantado por mim, quase que sozinha. Muitos materiais foram custeados por mim também. Não reclamo, faço porque gosto e foi uma surpresa o destaque que teve. A escola começou a ser conhecida em vários lugares por conta do meu trabalho e isso me orgulha muito.Por conta desse trabalho na escola é que a Secretaria de Educação me convidou para trabalhar na Biblioteca Fábrica do Saber. Esse gosto pela contação de histórias também é algo antigo, mas só a partir de 2009 que comecei a participar de cursos de formação e melhorar ainda mais as minhas formas de mediação de leitura. Também surgiu junto a vontade de mostrar as coisas que escrevo e assim, também virei escritora. Este ano será publicado meu primeiro livro para o público infantil.Na Biblioteca Fábrica do Saber estou ainda reformulando o projeto de trabalho que inclui: contação de histórias no espaço e fora dele, as malas literárias com 30 livros em cada, que podem ser retiradas pelas escolas, o grupo de teatro, o grupo de poesia, atendimento à pesquisa, empréstimo de livros à comunidade. Estou há apenas 2 meses no espaço e minha preocupação maior no início foi arrumar algumas coisinhas e deixar o espaço pronto para atender as pessoas. Assim, criei o blog para divulgar o trabalho, fui atrás de doação de livros em editoras e distribuidoras, consegui a doação de mais de 500 livros em 2 meses, estou procurando parceiros em várias áreas. Amo contar histórias, amo falar sobre literatura, amo ver o rosto daqueles que escutam as contações. Amo escrever também. Adoro movimento, agitação, gosto de ver tudo funcionando a pleno vapor. Estou sempre me qualificando para fazer sempre o melhor".


Rua Tupiniquins, 40 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo
Fone: (51) 30352501 
Email: smedfabricadosaber@novohamburgo.rs.gov.br 
Responsáveis: Profª Milene Barazzetti Fone: (51) 9976-8128 Email: milenebarazzetti@novohamburgo.rs.gov.br 

E merecem uma visita. Frequente, divulgue e preserve as bibliotecas de sua cidade.

Leia mais:


Gostou? Temos mais ideias para você na loja da Magnolia Cartonera




Conheça o livro Bibliotecas Mudam o Mundo dedicado à pessoas apaixonadas por bibliotecas diferentes e transformadoras. Suas páginas trazem exemplos inovadores e também ações simples de bibliotecas capazes de causar um impacto social positivo em suas comunidades. Com os exemplos nos inspiramos e crescemos, e para esse livro, fizemos uma combinação harmoniosa de bibliotecas e iniciativas que contém características importantíssimas para o futuro, seja na parte tecnológica, seja nos serviços simples e humanizados que realmente demonstram um cuidado especial com leitoras e leitores. Esses são espaços capazes de gerar um impacto relevante para o bem-estar das pessoas.
As bibliotecas que estão no livro ‘Bibliotecas Mudam o Mundo’ são conscientes, e entendem seu papel como locais democráticos, que operam como protagonistas em suas comunidades, para promover a inclusão, trabalham para envolver de forma ativa as pessoas, e ajudam a melhorar vidas, comunidades, bairros e o mundo. São bibliotecas criativas, cada vez mais voltadas para ações que trazem a comunidade leitora para os seus interiores, eficazes ao ponto de conquistá-las ao ar livre, de organizar programações ao lado de fora, para enfim trazê-las para dentro.


Daniele Carneiro - Bibliotecas do Brasil
contato@bibliotecasdobrasil.com
Arte: Juliano Rocha
Fotos: Fábrica do Saber / Encantos Literários

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe