Dia Internacional da Mulher nas Bibliotecas do Brasil

Várias bibliotecas do Brasil prepararam programações culturais especiais dedicadas à celebração do Dia Internacional da Mulher.

Fahrenheit 451 e uma sociedade mais tolerante

Lições que podem ser tiradas do livro de Ray Bradbury.

Comece 2015 com a Cartonera Bibliotecas do Brasil

Se dê um presente diferente, independente, artístico e artesanal nesse começo de ano. Compre um livro único e ajude o blog.

quinta-feira, 5 de março de 2015

Dia Internacional da Mulher nas Bibliotecas do Brasil


Várias bibliotecas do Brasil prepararam programações culturais especiais dedicadas à celebração do Dia Internacional da Mulher, e estão convidando leitores e a comunidade para participar de exposições, debates, exibições de filmes, brechó-solidário, lanche coletivo, palestras, oficinas, distribuição gratuita de livros e saraus, nós selecionamos algumas iniciativas e bibliotecas que estão com uma programação bem interessantes para divulgar. Se a sua biblioteca ou projeto vai fazer uma programação especial para a data, entre em contato conosco pelo email contato@bibliotecasdobrasil.com
A programação ou evento precisam ser gratuitos para serem divulgados no blog. Esse post será atualizado com novos eventos até o dia 08/03/2015.

Programação especial do Dia Internacional da Mulher 2015 das bibliotecas e projetos:

Biblioteca Pública do Estado da Bahia: Exposição, debates e exibições de filmes temáticos integram a programação gratuita. A Biblioteca Pública do Estado da Bahia (BPEB-Barris) realiza, no mês de março de 2015, o projeto “Mulher em Cena”, série de atividades voltadas para homenagear a mulher no mês em que se comemora o seu Dia Internacional (08 de março). O projeto, já em sua 4ª edição retorna em 2015 com a proposta de, mais uma vez, oferecer ao público uma programação cultural variada e inteiramente gratuita. Estão na programação, recitais, oficinas e exposição, dentre outras atividades, iniciando nesta terça (3), com a exposição “Arte InCena Mulher”, que será aberta com um bate-papo com as artistas expositoras. Clique para ver a programação completa.

Arte: Biblioteca Pública do Estado da Bahia

Orquídea Libertária Comunidade Autogestionária, Gravataí/RS - Essas são as atividades do dia 8 de Março, Dia Internacional da Luta da Mulher: cine-debate, brechó-solidário e lanche coletivo.
14h: CINE-DEBATE: Documentário “Noivas do Cordeiro”
16h: BRECHÓ SOLIDÁRIO - Moeda de troca: café, erva mate, óleo, macarrão parafuso, sardinha.
17h: LANCHE COLETIVO - Levar um prato: ex.: pasteis, pizza, enroladinho, bolo, refrigerante, sanduíches, etc.) Local: Orquídea Libertária (com ou sem chuva)
TODXS ESTÃO CONVIDADXS. Mais informações no Facebook da Orquídea Libertária.

Arte: Juliano Rocha

Biblioteca Pública Municipal de Ouro Preto/MG - "Ação Mulher": promover a conscientização das mulheres ouro-pretanas para seus direitos, principalmente quanto à violência doméstica e à desigualdade no mercado de trabalho. Exposição “Nísia Floresta: uma mulher à frente do seu tempo”, que conta a trajetória da educadora e escritora, do século XIX, que revolucionou o pensamento da época ao publicar vários artigos sobre a condição feminina. Palestra sobre a Lei Maria da Penha, ministrada pela bacharel em direito Regina Coeli Silva, que irá apresentar os principais pontos da lei e também retirar dúvidas sobre como denunciar os atos de violência contra a mulher. Clique para ver a programação completa.

Arte: Biblioteca Pública Municipal de Ouro Preto

Biblioteca Sem Paredes: Distribuição gratuita de livros na Feira Desapegue-se na Praça Edmundo Rego no Grajaú, Rio de Janeiro/RJ. Das 9h às 14h. Confira a programação no Facebook.
Arte: Biblioteca Sem Paredes

Museu Afro Brasil, São Paulo/SP: Oficina de Turbantes - 08 de março, às 14h.
A partir de uma visita pelo acervo, a atividade envolverá também espaços para discussões a respeito de padrões de beleza e da construção de identidade. Tendo como foco a mulher negra e a matriz afro-brasileira, a oficina tem como objetivo propor aos participantes, de maneira simples e descontraída, dicas e formas para amarrar e o usar turbantes no dia a dia.

Imagem: Museu Afro Brasil

Biblioteca Carolina Maria de Jesus do Museu Afro-Brasil - Visita Temática - Negras Mulheres: Durante o mês de março, o Museu Afro Brasil oferecerá um roteiro temático que propões uma reflexão sobre a questão de gênero, tendo como ponto de partida o acervo do museu Afro Brasil. Ao longo do percurso a proposta é convidar o visitante a olhar e pensar sobre a participação estruturante da mulher negra na construção da nação e da identidade do povo brasileiro. Esta visita incluirá uma atividade especial na Biblioteca Carolina Maria de Jesus.

Sarau - Dia 28 de março, 14h.
O Sarau propõe o encontro de interessados em ver, sentir, trocar saberes  a partir da prosa, de verso e de composições de livros, músicas , histórias de conhecidos ou autorais. Este mês a proposta integra a programação do Mês das Mulheres, e o convite se estende para que também os convidados  emprestem corpo e voz ao movimento do microfone aberto. Confira a programação completa.

Bibliotecas Sesi Indústria do Conhecimento da Vila Nova e do Parque São Carlos, Três Lagoas/MG - Palestras serão voltadas para os cuidados de combate ao câncer.
Vila Nova: Palestra sobre o bem-estar e saúde da mulher que falará sobre a prevenção do câncer de mama. Parque São Carlos: a ação educativa “Mulher de Atitude” contará com as orientações da palestrante da Rede Feminina de Combate ao Câncer. Confira a programação completa.

Foto: Bibliotecas Indústria do Conhecimento

Seleção de eventos: Daniele Carneiro - Bibliotecas do Brasil - contato@bibliotecasdobrasil.com
Arte do Dia Internacional da Mulher: Juliano Rocha sobre obras de Alphonse Mucha - Creative Commons


Leia mais:

quarta-feira, 4 de março de 2015

Eu devoro livros!



Este selo é para você que sempre precisa devorar só mais um! Essas são algumas sugestões de leitura do blog Bibliotecas do Brasil, passeie pelos posts, descubra temas e títulos que encaixam com o seu perfil: http://www.bibliotecasdobrasil.com/search/label/livros

Agora você pode comprar os adesivos do blog Bibliotecas do Brasil! Em 2015 você tem mais opções para nos apoiar e nos ajudar a manter as atividades semanais do blog, as ações de livros livres e ajudar a divulgar as bibliotecas livres, comunitárias e atuantes do nosso Brasil e de fora, com um blog sempre atualizado e comprometido em mostrar as mais variadas modalidades de aproximação e sensibilização para a leitura e para a partilha de livros. Escolha seu adesivo aqui.

Texto: Daniele Carneiro
Arte: Juliano Rocha - Creative Commons

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Fahrenheit 451 e uma sociedade mais tolerante


Esse texto foi publicado na newsletter Bibliotecas do Brasil Inbox #29, enviada para nossos assinantes em 29/10/2014. Compartilhamos com nossos leitores do blog para dar um gostinho do conteúdo semanal que enviamos gratuitamente, sempre com textos inéditos sobre diversos temas culturais, com um foco voltado para partilha de livros, literatura, bibliotecas atuantes, projetos de incentivo à leitura inspiradores e iniciativas para conhecer e acompanhar.
Toda semana, às quartas-feiras enviamos um e-mail com conteúdo novo e exclusivo para assinantes sobre o mundo das bibliotecas livres, iniciativas de incentivo à leitura e o mundo cultural. Sempre com uma visão pessoal do que encontramos pelo caminho ao divulgar e conhecer essas pessoas que estão mudando o mundo, uma biblioteca livre de cada vez. Assine gratuitamente nesse link e já receba de brinde todas as edições que enviamos até agora.

Fahrenheit 451 e uma sociedade mais tolerante

Você viveria em um mundo onde os livros são proibidos? Pois este é o mundo que o autor Ray Bradbury criou no seu mais famoso livro Fahrenheit 451 (1953). Acabei de ler este livro apesar de já ter visto o filme há muito tempo, e os dois diferem um pouco um do outro. No livro seguimos a história de Guy Montag, um bombeiro – nesse futuro próximo bombeiros queimam livros e casas onde eles estejam escondidos – que começou a se questionar o que existe dentro desses livros que ele tanto queimou e resolve ler alguns deles, cometendo um crime que pode ser punido com a morte.
A busca pelo conhecimento é uma das motivações centrais na vida de um leitor, a sua sede de novas realidades e novos conceitos o faz sair do comportamento de manada, como Nietzsche definiu tão bem. Procurar algo além da sua zona de conforto e estar constantemente sendo exposto a novas maneiras de pensar e novas pessoas, desconstrói qualquer possibilidade de surgirem pensamentos preconceituosos. A atitude de preconceito contra aquilo que não é parecido conosco vem da mais completa ignorância, da falta de tentar compreender que todos somos essencialmente iguais na formação do homo sapiens, com apenas pequenas adaptações biológicas ao ambiente que habitamos.

E mesmo se fôssemos diferentes na formação de nossos genes e hábitos, a abertura de mente para compreender que existe o diferente no mundo, e que esse outro também possui o direito de viver e procurar uma vida satisfatória, é necessária e essencial em todos aqueles que são humanos e vivem em uma sociedade. A leitura é importante justamente por nos dar essa compreensão de que estamos todos no mesmo barco, um planeta ínfimo no meio do universo que por um acaso possui as qualidades para o desenvolvimento de vida inteligente.
Justamente para criar esse sentimento de ódio por aquilo que não se conhece é que os dirigentes da sociedade futurista de Fahrenheit 451 não permitem o acesso aos livros, para manter o constante estado de guerra, como é visto em outro livro de ficção que espelha nossa sociedade, o excelente 1984 de George Orwell, que também recomendo com fervor. A ignorância do povo sempre foi uma arma eficaz para manter populações como rebanhos apáticos durante a história, é só pensar que em 1920 - portanto já no século 20 - a taxa de analfabetismo no Brasil era de 71% e o quanto as pessoas podiam ser manobradas por quem detivesse o poder.

Como Ray Bradbury era um apaixonado inveterado por livros e bibliotecas e uma pessoa que acreditava no espírito humano, existe uma resistência contra esse regime totalitário composto de pessoas que decoram os livros e passam sua história para frente de forma oral. É uma imagem muito forte e bonita, de pensar que uma pessoa ao decorar uma história tornou-se o livro Guerra e Paz ou o livro Desobediência Civil. Além de ser uma resistência que não produz provas contra si, pois não viola a lei de não possuir livros, proporciona a sobrevivência da cultura que a humanidade já produziu e permite que quando o momento chegar, os livros poderão ser produzidos novamente.
Nesse momento em que vivemos no Brasil ao final de uma eleição onde o pior das pessoas foi despertado, e demonstrações horríveis de preconceito e xenofobia foram vistos, é fundamental a leitura de obras que nos façam pensar mais em como aceitar aquilo que é diferente. A leitura é um exercício intelectual que nos torna mais humanos e mais próximos de uma sociedade sem tanta violência e discriminação. Fahrenheit 451 é um ótimo ponto de partida para pensarmos o que pode acontecer se começarmos a banir aquilo que não compreendemos, e de como devemos aceitar o diverso e aprender com outras culturas como podemos melhorar, e dessa forma produzirmos novos maneiras de desfrutar da nossa realidade de forma alegre, tolerante e sem ódio.

email: contato@bibliotecasdobrasil.com


Acompanhe-nos no twitter: @Bibliotecas_BR

O que é a Bibliotecas do Brasil Inbox?

Toda semana, às quartas-feiras enviamos um e-mail com conteúdo novo e exclusivo para assinantes sobre o mundo das bibliotecas livres, iniciativas de incentivo à leitura e o mundo cultural. Sempre com uma visão pessoal do que encontramos pelo caminho ao divulgar e conhecer essas pessoas que estão mudando o mundo, uma biblioteca livre de cada vez. Assine gratuitamente nesse link e já receba de brinde todas as edições que enviamos até agora:

Inscreva-se aqui na newsletter Bibliotecas do Brasil Inbox

* indicates required
Powered by MailChimp

Leia mais:

Bibliotecas do Brasil Inbox #43 - Biblioteca e memória


Nesta nova edição da newsletter Bibliotecas do Brasil Inbox conversamos sobre os direitos do consumidor contra instituições de ensino que tentam inviabilizar a formação de alunos. Ernest Hemingway aparece em nosso selinho e indica 14 livros que ele achava necessários para todo escritor conhecer.
No texto dessa semana a Dani propõe que os responsáveis por bibliotecas (comunitárias, livres, institucionais, privadas e públicas) pensem sobre como a memória das bibliotecas está sendo preservada. Passa pela discussão de utilizar outros meios de divulgação online além do Facebook até o registro escrito e fotográfico das atividades e datas especiais das nossas bibliotecas e a importância de manter viva a lembrança do que já se passou dentro de suas paredes.
Nas notícias lembramos que há 4 anos duas bibliotecas sofrem esquecidas pelo poder público em Curitiba, indicamos 34 livros sobre carnaval e mostramos como foi a programação de carnaval na bibliotecas de Araucária. E terminamos com a agenda cultural, tem contação de histórias africanas, oficina de línguas africanas, Dia Internacional da Mulher na biblioteca, evento literário e uma exposição artística.

Acompanhe-nos no twitter: @Bibliotecas_BR

O que é a Bibliotecas do Brasil Inbox?

Toda semana, às quartas-feiras enviamos um e-mail com conteúdo novo e exclusivo para assinantes sobre o mundo das bibliotecas livres, iniciativas de incentivo à leitura e o mundo cultural. Sempre com uma visão pessoal do que encontramos pelo caminho ao divulgar e conhecer essas pessoas que estão mudando o mundo, uma biblioteca livre de cada vez. Assine gratuitamente nesse link e já receba de brinde todas as edições que enviamos até agora:

Inscreva-se aqui na newsletter Bibliotecas do Brasil Inbox

* indicates required
Powered by MailChimp

Texto: Bibliotecas do Brasil
Foto: Anna Åkerberg - Arte: Juliano Rocha
contato@bibliotecasdobrasil.com

Leia mais:

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Inscrições abertas para o projeto CDI Bibliotecas


A Ana Gonzales da organização social CDI (Comitê para a Democratização da Informática) entrou em contato com a gente para que divulgássemos o projeto CDI Bibliotecas que eles estão oferecendo com o patrocínio da The Bill & Melinda Gates Foundation.
O objetivo do projeto é "atuar diretamente junto a 50 bibliotecas públicas municipais e estaduais localizadas nas 27 unidades da federação e usará a metodologia baseada nas propostas do educador brasileiro Paulo Freire, que foram projetadas para capacitar os alunos como 'agentes de transformação', como melhores cidadãos para a sua comunidade".

Podem participar do programa as "bibliotecas públicas municipais e estaduais mantidas pelo governo local, localizadas em municípios com no mínimo 50 mil habitantes e com facilidade de acesso ao local. Não são consideradas bibliotecas públicas as bibliotecas especializadas, universitárias, escolares, mesmo que vinculadas a órgãos públicos, assim como as bibliotecas vinculadas ao Sistema S". A inscrição deverá ser realizada pela direção da biblioteca que está se inscrevendo.

As inscrições são até o dia 12/03/2015. Haverá um processo seletivo para a escolha das bibliotecas participantes.

Esse são os principais objetivos abordados no projeto com as bibliotecas selecionadas:

1 - Fomentar a criação de um ambiente de inovação nas bibliotecas que seja referência para ampliar o acesso à leitura e ao conhecimento;
2 - Contribuir na formação dos bibliotecários e profissionais que atuam na biblioteca para maior integração de tecnologia em suas atividades;
3 - Cocriar com os bibliotecários novas práticas onde o uso da tecnologia estimule o acesso à informação para melhoria na qualidade de vida da comunidade;
4 - Estimular a liderança nos bibliotecários para aprimorar o engajamento da comunidade em atividades de incentivo ao aprendizado, acesso à informação e à leitura;
5 - Colaborar para ampliar a relevância das bibliotecas em suas comunidades, gerando histórias de sucesso e garantindo a continuidade e ampliação do projeto.

Para maiores informações e fazer a inscrição de sua biblioteca siga esse link:


Juliano Rocha - Bibliotecas do Brasil - contato@bibliotecasdobrasil
Com informações e arte do CDI

Leia mais:

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Bibliotecas estão abandonadas há 4 anos em Curitiba

Casa da Leitura Franco Giglio. Foto de Daniele Carneiro feita em 16/04/2014 - Bibliotecas do Brasil

No dia 11/02/2015 o Paraná Online fez uma matéria para atualizar os leitores sobre a situação da Casa da Leitura Franco Giglio localizada no bairro Campina do Siqueira em Curitiba que está abandonada desde 2011. Segundo os Caçadores de Notícia:

"A Casa de Leitura Franco Giglio, localizada na esquina das ruas Jerônimo Durski e José Domakoski, no bairro Campina do Siqueira, continua fechada e segue para o quarto ano consecutivo fora de funcionamento. Em fevereiro de 2014 a reportagem da Tribuna esteve no local e mostrou a estrutura da casa completamente abandonada. Um ano depois, as condições continuam ruins, com mato tomando conta do local e pichações espalhadas pelas paredes". O empresário Valmir Zaganani é proprietário de uma panificadora localizada ao lado da Casa de Leitura Franco Giglio. Ele conta que desde que foi fechado, nunca mais viu qualquer movimentação no local. “Continua tudo na mesma. Nunca mais vi gente da prefeitura aí. De vez em quando vem uma equipe e corta grama. Mas até isso parou, porque a grama está bem alta”, relata. Leia a matéria na íntegra no site do Paraná Online 
O blog Bibliotecas do Brasil visitou a Casa da Leitura Franco Giglio para ver de perto a situação desoladora de abandono da biblioteca municipal, leia no post: Casa da Leitura Franco Giglio está abandonada em Curitiba. E a situação não é diferente na periferia da cidade, pois a Biblioteca da Casa Kozák amarga uma história de descompromisso, omissão e abandono que envolvem além de objetos relacionados à memória do antropólogo Vladimir Kozák, uma Rural Willys, o veículo com o qual fazia suas expedições para as tribos de índios que estudava e filmava e a casa histórica tcheca que ele mesmo projetou.

Biblioteca Casa Kozák. Foto de Daniele Carneiro feita em 21/05/2014 - Bibliotecas do Brasil

Relembre nas seguintes matérias do blog Bibliotecas do Brasil a situação da Biblioteca Casa Kozák, que também está abandonada no bairro Uberaba em Curitiba:


Daniele Carneiro - Bibliotecas do Brasil
Fotos: Daniele Carneiro
Arte: Juliano Rocha
Com informações do Paraná Online

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

34 livros sobre o Carnaval

Passeando pelo Facebook encontramos dicas muito boas de livros sobre o carnaval e suas manifestações pelo mundo, e fizemos uma coletânea de dicas bibliográficas para aqueles que querem conhecer mais sobre a cultura do Carnaval e se aprofundar através da leitura. Começamos com as dicas da Biblioteca Parque Estadual do Rio de Janeiro que além de fazer uma longa lista de sugestões, colocou em exposição os livros para os leitores que passassem pela biblioteca durante a semana do Carnaval, e de forma ilustrativa e atuante, publicou posts em seu perfil no Facebook convidando os leitores a conhecerem os livros sobre o carnaval mostrando suas capas, e contando um pouco sobre o conteúdo de cada um deles. Que bacana poder acompanhar o trabalho envolvente e compromissado de uma biblioteca pública. Reproduzimos essas postagens aqui no blog Bibliotecas do Brasil. Confira!

Dicas da Biblioteca Parque Estadual do Rio de Janeiro:

"Em clima de Carnaval, preparamos uma exposição de livros sobre a folia de Momo. Tem títulos contando a história das escolas de samba, biografias de grandes sambistas, como Dona Ivone Lara, de ícones da festa no Rio, como o carnavalesco Paulo Barros, e muito mais! Passe na BPE e leve o Carnaval para casa"!  Foto: Biblioteca Parque Estadual

1. “Nem vem que não tem – A vida e o veneno de Wilson Silmonal” Ricardo Alexandre
2. “Antes do furacão - O Mardi Gras de um folião brasileiro em Nova Orleans” Fred Góes
3. “Paulo Barros Sem Segredo – Estratégia Inovação e Criatividade” Artur da Távola
4. “Carnaval – J. Carlos” – Luciano Trigo e Cássio Lordeano
5. “Adoniran – Dá licença de contar...” Ayrton Mugnaini Jr.


Há 50 anos, o grande vencedor do Prêmio de Músicas Carnavalescas do IV Centenário do Rio de Janeiro era...um paulistano! Maior representante do samba de São Paulo, Adoniran Barbosa é a dica de hoje: o livro “Adoniran: Dá licença de contar” do jornalista Ayrton Mugnaini Jr (Editora 34), que está em nossa exposição de livros, reúne várias facetas do descendente de italianos que teve os mais diversos empregos – como ambulante, pintor de paredes e encanador – e ainda teve tempo para cantar e criar clássicos como “Trem das onze” (grande vencedor do concurso carioca) e “Tiro ao Álvaro”.  Foto: Biblioteca Parque Estadual - Facebook.

6. “Carnaval brasileiro – O vivido e o mito” Maria Isaura Pereira de Queiroz
7. “Troféus da Mangueira” Aydano André
8. “Meu Carnaval Brasil” Felipe Ferreira; Sérgio Cabral; Ricardo Cravo Albin
9. “Na Passarela do Samba - O esplendor das escolas em 30 anos de desfiles de carnaval no Sambódromo" André Diniz
10. “Um Carnaval Encantado" João Pedro Soares Martins
11. “Marcadas para Viver - Cadernos de Samba" – João Pimentel
12. “Portela – 90 Anos de História”  Salete Lisboa e Marcelo Loureiro
13. “Nasci para sonhar e cantar – Dona Ivone Lara: a mulher do samba”  Mila Burns
14. “A dança nobre do Carnaval” Renata de Sá Gonçalves



15. “Tantas páginas belas” Luiz Antonio Simas: Longe do pódio do samba nas últimas décadas, a Portela é a maior campeã da história do Carnaval carioca. Mestre em História Social pela UFRJ, Simas mergulha no universo azul da escola de Oswaldo Cruz, da sua fundação por descendentes de escravos que migraram para a Grande Madureira, passando pela genialidade de Candeia e até a Velha Guarda, idealizada por Paulinho da Viola. Entre no clima do Carnaval lendo samba na BPE!
16. “Ivone Lara – A dona da Melodia” Kátia Santos
17. “Estrela que me faz sonhar – Mocidade” Bárbara Pereira


“Mestre André sempre dizia: ninguém segura a nossa bateria!” A segunda dica da nossa exposição de livros sobre Carnaval é “Estrela que me faz sonhar: Histórias da Mocidade”, de Bárbara Pereira (Coleção Cadernos de Samba, Verso Brasil Editora ).
A jornalista conta, do início à glória, a história da escola que deu fama ao bairro de Padre Miguel e se tornou reconhecida pela sua talentosa bateria – criadora da famosa “paradinha”, reproduzida por muitas agremiações. Entre outras curiosidades, a autora revela que a Mocidade nasceu de um time de futebol(!) e é a única escola de samba que, após ingressar no grupo de elite, jamais foi rebaixada. Quer saber mais? Passe aqui até sexta-feira e faça o empréstimo do exemplar.

18. “Carnaval em múltiplos planos” Maria Laura Cavalcanti
19. “Abre-alas – Histórias dos Carnavais de Angra dos Reis” Aglaé Moreira dos Reis Dias
20. “Acadêmicos, Unidos e tantas mais – Entendendo os desfiles e como tudo começou” João Bastos
21. “Onze mulheres incríveis do Carnaval carioca - Histórias de porta-bandeiras” Aydano André Motta


A dica de hoje da nossa exposição de livros sobre Carnaval fala sobre a presença feminina em sua forma mais elegante na festa. Em “Onze mulheres incríveis do Carnaval carioca - Histórias de porta-bandeiras”, (Coleção Cadernos de Samba, Verso Brasil Editora), o jornalista Aydano André Motta conta a história de 11 porta-bandeiras, personagens do universo carnavalesco que mesclam a beleza e a alegria da deusa do amor Oxum com os passos dos minuetos europeus, contando seus triunfos, sem deixar de abordar seus dramas. Foto: Biblioteca Parque Estadual - Facebook.

Também seguimos as dicas da página de incentivo à leitura, a Capitu Lê



Gosta de carnaval? E ler durante o feriado? Então, aqui vão algumas dicas que trazem o tema no título.

22. País do carnaval, de Jorge Amado
23. O dia em que adiaram o carnaval, de Luis Claudio Villafañe G. Santos
24. O carnaval do jabuti, de Walmir Ayala
25. Aula de carnaval e outros poemas, de Ricardo Azevedo
26. Carnaval no fogo, de Ruy Castro
27. O carnaval dos animais, Moacyr Scliar
28. Arlequim de carnaval, de Ronaldo Correia de Brito
29. Foi no carnaval que passou, de Gustavo Malheiros
30. Carnaval, de Umberto Eco
31. Antologia de carnaval, org. de Wilson Louzada
32. Carnaval no convento, de Odil de Oliveira Filho
33. O livro de ouro do carnaval brasileiro, de Felipe Ferreira

Dica da newsletter Bibliotecas do Brasil Inbox:
34. Desde que o Samba é Samba, de Paulo Lins


Leia mais:

Daniele Carneiro - Bibliotecas do Brasil
Arte: Juliano Rocha
contato@bibliotecasdobrasil.com

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Bibliotecas do Brasil Inbox #42 - A importância dos E-books para os leitores


Carnaval nas Bibliotecas do Brasil por Dani Carneiro
Nessa edição a Dani faz uma reflexão sobre a importância de as bibliotecas protagonizarem eventos educativos para pessoas de todas as idades em datas comemorativas e feriados como o Carnaval. Além de se tornarem mais atrativas para aquele público que já está acostumado a visitar bibliotecas, elas podem chamar a atenção de pessoas que não têm esse hábito de frequentá-las, tornando-se um local de encontro e oportunidade de aprendizado. E ter bibliotecas abertas durante os feriados são uma grande opção para quem prefere passar um carnaval mais tranquilo, um feriado com sossego. Enquanto as crianças brincam, a biblioteca ainda tem seus serviços de empréstimo e seu interior aberto para aqueles que preferem um carnaval de leituras. Um texto bem bacana e inspirador que pode ser lido na edição #42

A importância dos E-books na formação de leitores por Juliano Rocha
No texto do Juliano ele conversa com os leitores sobre como os E-books tem proporcionado mais tempo de leitura em sua vida e como eles são muito mais que aliados e facilitadores da leitura e da difusão de cultura para pessoas que não possuem acesso aos livros em papel em várias situações cotidianas. E este preconceito com o novo pode sim privar as pessoas de continuarem a leitura que começaram em um livro de papel em qualquer lugar, ou de entrarem no mundo da leitura através de um livro digital. É um texto bastante esclarecedor e nos faz entender como os E-books são fundamentais para as realidades cotidianas dos leitores.

E nessa edição tem muito mais
As matérias mais procuradas no blog durante a semana, um especial de posts sobre o Carnaval das Bibliotecas, dica de livro e os eventos mais bacanas que cruzaram o nosso caminho para divulgação. Quem quiser divulgar eventos literários de qualquer canto do Brasil, pode entrar em contato conosco através do e-mail contato@bibliotecasdobrasil.com ou pelo Facebook. Temos preferência por eventos catraca livre (gratuitos). Envie o nome do evento/projeto, horário e data do evento, localização, público alvo, endereço, email, telefones para contato, quanto mais informações, melhor.

Acompanhe-nos no twitter: @Bibliotecas_BR

O que é a Bibliotecas do Brasil Inbox?

Toda semana, às quartas-feiras enviamos um e-mail com conteúdo novo e exclusivo para assinantes sobre o mundo das bibliotecas livres, iniciativas de incentivo à leitura e o mundo cultural. Sempre com uma visão pessoal do que encontramos pelo caminho ao divulgar e conhecer essas pessoas que estão mudando o mundo, uma biblioteca livre de cada vez. Assine gratuitamente nesse link e já receba de brinde todas as edições que enviamos até agora:

Inscreva-se aqui na newsletter Bibliotecas do Brasil Inbox

* indicates required
Powered by MailChimp

Texto: Bibliotecas do Brasil
Foto: Daniele Carneiro - Arte: Juliano Rocha
contato@bibliotecasdobrasil.com