Livros livres no museu: 'Deixe um livro no banco' ação de incentivo à leitura do Inhotim

19.4.15


Em uma semana dedicada à leitura, o Inhotim convida todos os visitantes a trazerem livros e deixá-los nos bancos do parque para que outros visitantes possam ler. Esta é uma ótima oportunidade para desfrutar de uma boa leitura em meio aos jardins do Inhotim.

O Instituto Inhotim é a sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e jardim botânico, localizado no município de Brumadinho (MG), a aproximadamente 60km de Belo Horizonte. Além de obras de arte, ao caminhar pelos jardins o visitante também encontra espécies botânicas de todas as partes do mundo.

O Instituto Inhotim abriga um complexo museológico com uma série de pavilhões e galerias com obras de arte e esculturas expostas ao ar livre. O surgimento do Inhotim no cenário das instituições culturais brasileiras tem como marca, desde o início, a missão de criar um acervo artístico e de definir estratégias museológicas que possibilitem o acesso da comunidade aos bens culturais. Nesse sentido, trata-se de aproximar o público de um relevante conjunto de obras, produzidas por artistas de diferentes partes do mundo, refletindo de forma atual sobre as questões da contemporaneidade.


Literatura pelo Inhotim: Objeto muito antigo na nossa história, o livro é propositor e encantador por natureza, contém cheiro, imagens, narrativas e memórias. A leitura, seja pela letra escrita ou imagem impressa, propicia a construção de sentidos, afetos e conhecimento. Marcando a nossa vida de forma significativa e estimulando o ato revolucionário da autonomia, o livro pertence ao campo do encantamento e do exercício das práticas sensíveis.

No Inhotim, o trabalho A origem da obra de arte (2002), da artista Marilá Dardot, permite ao visitante caminhar por um jardim-livro, onde ele se torna coparticipante no plantio de vasos em forma de letras que se tornam palavras, distribuindo pela grama ideias e poesia. Em Desert Park (2010), a artista Dominique Gonzalez-Foerster cria um ambiente especialmente para o Instituto, construindo, em meio ao jardim tropical, uma coleção de pontos de ônibus desérticos. O que se espera? Ao chegar e partir, quais leituras são possíveis nesse lugar?


Ao pensar na importância desse companheiro de tempos, amigo do homem e aliado da imaginação, que tal praticar uma ação saudável e afetiva de deixar um livro nos bancos dos jardins do Inhotim e ter a grata surpresa de achar outros, novos ou usados?

Deixe um livro no banco: De 20 a 26 de abril, convidamos os visitantes a trazer seus livros para promover a prática da leitura. A atividade Deixe um livro no banco, utiliza os bancos espalhados pelo parque como suporte para essa ação, transformando-os em prateleiras expositivas de surpresas! Confira mais informações aqui.

Texto de Tiago Ferreira e Wellington Pedro, educadores do Inhotim
Fotos: Site do Inhotim
Facebook: Inhotim

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe