Ghignone: a morte de uma livraria

1.4.13

Esse registro fotográfico de Juliano Rocha foi feito no dia 13 de agosto de 2011, quando a Livraria Ghignone abriu suas portas pela última vez. Nesse triste dia foi feito um saldão de livros, e os títulos que costumávamos venerar, puderam ser comprados pela metade do preço em um dia de adeus e lembranças. Foram longos verões que passamos dentro da livraria, em sua atmosfera de sonho, fugindo do verão. Sempre tocava jazzes muito antigos, o café era maravilhoso, o atendimento muito bom. Deixou saudades.

Juliano capturou o sentimento de despedida enquanto vários frequentadores melancólicos conversavam sobre suas memórias e a abrupta perda de uma livraria muito querida para os curitibanos. A sensação que predominava era de vazio, de tristeza, como se ali presenciassem a morte de um amigo muito querido que morreu repentinamente. E foi assim mesmo. A primeira Livraria Ghignone foi aberta em 1921 e a empresa chegou a ter 13 lojas em Curitiba (veja aqui). Essa era a última loja e funcionou na Rua Comendador Araújo durante 7 anos.

Nesse dia o Juliano publicou em seu Facebook: "A Livraria Ghignone fechou sua última loja neste sábado. O único lugar da cidade que unia jazz, livros e um ótimo café. Era uma ilha de paz e cultura que acolhia os fugitivos do barulho e da loucura do centro. Sentiremos sua falta".











Juliano Rocha é artista plástico, fotógrafo e estuda Artes Visuais em Curitiba.
Contato: julianorocha@gmail.com
Flickr: noideas

Leia mais:

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe