Uma tarde na Fundação Iberê Camargo em Porto Alegre

19.6.14


Às margens do Rio Guaíba em Porto Alegre ergue-se um prédio de cimento claro, com linhas retas que se destaca nas águas deste grande rio que banha a cidade, o prédio é a sede e museu da Fundação Iberê Camargo, construída em 2008. Conhecido como um dos lugares mais bonitos para se apreciar o pôr-do-sol na capital do Rio Grande do Sul, o museu utiliza esse cenário como parte de sua arquitetura que mesmo da parte interna, sempre nos oferece escotilhas para as águas e o céu dessa bela região.

Fachada da Fundação Iberê Camargo e o Rio Guaíba


A experiência começou no próprio estacionamento da Fundação que possui todo um clima dos filmes do Stanley Kubrick, centralizado, branco e com muitas colunas, o que já nos retirou de nossos pensamentos mundanos e nos preparou para adentrarmos em um mundo de cultura. Quando visitamos o museu estava em cartaz a mostra “Iberê Camargo: as horas [o tempo como motivo]”, o catálogo da exposição está disponível para download gratuito, que faz um recorte na obra do artista produzida nos anos 1980, composta por pinturas e desenhos e um filme que mostra o processo de produção do Iberê.

Iberê Camargo, gaúcho que viveu de 1914 até 1994, gostava de utilizar cores escuras em suas obras, com pesadas camadas de tinta que a primeira vista podem trazer uma sujeira visual à composição de suas pinturas, porém quando o espectador para e observa por alguns segundos suas obras, um mundo de sutilezas em cor começa a explodir diante de seus olhos. Justamente por ter uma predominância de cores escuras os pequenos detalhes e os locais em que ele retirou a tinta pesada, ganham destaque e possuem uma força e suavidade que parecem cantar uma música suave que guia as pessoas pelo seu mundo de símbolos e objetos diários, que possuem todo um novo significado aos olhos do artista.

Exposição Iberê Camargo: as horas [o tempo como motivo]

Pintura "Face" de 1984
Detalhe da obra
O deslocamento dentro do museu é feito por rampas em espiral que nos fazem apreciar todas as obras antes de chegar à escotilha principal, que encontra-se bem no centro do prédio e que possui uma vista belíssima do Rio Guaíba. Quando visitamos outras duas exposições estavam em montagem nos andares superiores, portanto só pudemos conhecer metade do edifício, mas foi o suficiente para nos apaixonarmos.
Após vermos a exposição e a vista da escotilha principal, conhecemos a loja do museu que possui diversos produtos feitos por outros artistas e artesãos, como uma coletânea de miniaturas de animais da fauna brasileira feitos por artesãos e artesãs do interior do Rio Grande do Sul do projeto Bichos do Mar de Dentro, e livros sobre os mais variados artistas nacionais e internacionais além de camisetas e outras lembrancinhas.

As linhas do museu criam novas formas a cada ângulo que se observa

Escotilha no centro e as rampas de acesso


Depois da passagem pela loja e de posse de uma miniatura de Capivara fomos com a nossa amiga Letícia Tafra Fontoura nossa guia e anfitriã por terras gaúchas, desfrutar da cafeteria do local, com uma ampla visão para o pôr-do-sol com lânguidos barcos à vela deslizando no horizonte laranja. Com cafés suaves e madeleines divinas, o ambiente é propício para discussões culturais e para bolar novos projetos literários e as nossas próximas viagens.

Café e madeleine
Letícia Fontoura e Juliano Rocha no café da Fundação Iberê Camargo

Saímos de lá encantados e com uma vontade de voltar para ver as novas exposições que estreariam dali a poucos dias, porém nossa volta já estava marcada. Mas na próxima visita à Porto Alegre a Fundação Iberê Camargo estará novamente em nosso roteiro para mais um dia de arte, cafés e pôr-do-sol.

Daniele Carneiro observa a vista de dentro da Fundação Iberê Camargo





Texto e arte: Juliano Rocha
Fotos: Daniele Carneiro e Juliano Rocha
Bibliotecas do Brasil - contato@bibliotecasdobrasil.com



Informações:
Fundação Iberê Camargo: Av. Padre Cacique, 2000 - Porto Alegre – RS
Entrada gratuita
Horário de Funcionamento: De terça a domingo (inclusive feriados), das 12h às 19h, quintas até as 21h

Leia mais:

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe