Lançamento do livro-arte Boca de Rua e Mostra de Saraus na FestiPoa Literária

29.5.14


Estivemos em Porto Alegre na última semana à convite de nossa amiga Leticia Tafra Fontoura do G-MÃO - Grupo de Mãos em Ação, que gentilmente abriu as portas de sua casa em Gravataí e nos recebeu como se fôssemos da família. Nessa viagem de uma semana, visitamos vários lugares culturais da cidade, além de participarmos do Lançamento do livro-arte do jornal Boca de Rua e do Encontro de Saraus de Porto Alegre, no dia 25 de maio de 2014 na Casa de Cultura Mário Quintana. A foto acima é do Facebook da FestiPoa Literária (7ª Festa Literária de Porto Alegre), do momento em que a Rosina Duarte, fundadora do jornal Boca de Rua leu para nós um conto escrito por uma criança de 9 anos que é moradora de rua. O Boca de Rua também tem um sarau que acontece mensalmente e traz ao público o espírito do jornal (Sarau Amigos da Alice). Mais informações podem ser encontradas no site http://www.alice.org.br/


O livro Boca de Rua que reúne histórias, poesias e crônicas garimpadas nas edições do jornal homônimo, é feito e vendido por sem-tetos de Porto Alegre há 13 anos, sob coordenação da Agência Livre para Informação, Cidadania e Educação (ALICE). O livro tem capas de papelão costurada à mão e elas são ilustradas por artistas visuais apoiadores do projeto. Parte deles participou da oficina “Luxo: Lixo do papelão ao Livro”, coordenada pelo Cabaré do Verbo e inspirada na metodologia do projeto paulista Dulcinéia Catadora.

Foto: FestiPoa Literária

Tivemos a oportunidade de conhecer e bater um papo muito bacana com a Rosina Duarte e com Reinaldo Luiz dos Santos, integrante do jornal que é ex-morador de rua, já viveu dois anos em Curitiba, e hoje está cursando o segundo semestre de Jornalismo. O Reinaldo e a Rosina foram super atenciosos conosco, nos explicaram como funciona o jornal e nos contaram detalhes da coletânea lançada no formato de livro-arte.


Rosina Duarte e Reinaldo Luiz dos Santos do jornal Boca de Rua e Dani Carneiro do blog Bibliotecas do Brasil. O Reinaldo nos vendeu vários exemplares do jornal e nos deu algumas cópias de um material bem completo sobre a publicação. Toda a renda arrecadada com a venda dos jornais é revertida para o Boca de Rua. Assista o filme do Boca de Rua nesse link: Vozes de uma gente invisível.


Julio Souto da Maria Papelão Editora apresentou durante o encontro a literatura cartonera para nós. O livro "Tempo Embalado para Apodrecer" é belíssimo com acabamento personalizado, o que torna cada livro uma obra única.
Esse exemplar da foto quem nos mostrou foi o escritor Marcelino Freire que estava presente para participar do sarau e contar novidades do festival anual Balada Literária, do qual é criador e curador, que no ano de 2014 irá homenagear a escritora Carolina Maria de Jesus, autora do livro Quarto de Despejo, e o dramaturgo, ator e escritor Plinio Marcos.


Juliano Rocha do blog Bibliotecas do Brasil e Julio Souto da Maria Papelão Editora conversaram sobre livros cartoneros, e o Julio nos mostrou diversos livros que ele adquiriu durante a FestiPoa Literária


A Leticia comprou o livro-arte cartonero do Boca de Rua com capa do artista plástico Brito Velho

Encontro de Saraus de Porto Alegre


O livro-arte Boca de Rua é a imagem e semelhança do jornal Boca de Rua. Ele foi produzido coletivamente com textos do pessoal adulto que integra o jornal, pelas crianças carinhosamente apelidadas de "Boquinha" e pelas mães, as "Mães Corujas". Rosina Duarte, a criadora do jornal disse que "os livros-arte foram feitos com papelão por moradores de rua, pessoas que a sociedade não valoriza como devem ser valorizados". Leia mais sobre o Boca de Rua e o Boquinha.


Diversos artistas doaram gratuitamente seus trabalhos para estampar as capas dos livros-arte. Para comprar o livro é só entrar em contato com a Alice (Agência Livre para Informação, Cidadania e Educação) nesse link ou pelo email alice@alice.org.br


O escritor Marcelino Freire, Evelize Cristina Silva, Sid Borges e o Pedro do Sopapo Poético estavam presentes no encontro de saraus, eles falaram sobre a importância do protagonismo da cultura negra, e sobre o resgate da literatura gaúcha e conversaram com a gente contando como realizam seus trabalhos. Evelize e Sid do Sopapo Poético lembraram o centenário de nascimento da escritora brasileira Carolina Maria de Jesus e falaram sobre a importância de se conhecer e divulgar o trabalho de escritoras e poetisas negras brasileiras. E nós falamos um pouco das pessoas que montam bibliotecas comunitárias e livres, e disseminam a leitura de forma independente. Foi muito legal.

O Sopapo Poético é um sarau de poesia e música promovido pela Associação Negra de Cultura (ANdC) desde março de 2012. O evento reúne a comunidade para ouvir, dizer e compartilhar palavras poéticas negras, sempre nas últimas terças-feiras do mês com entrada franca. O sarau é realizado na sede da Associação das Entidades Carnavalescas - AECPARS na Avenida Ipiranga, nº 311, no bairro Menino Deus em Porto Alegre. Em breve faremos um artigo inteiramente dedicado ao trabalho realizado pelo Sopapo Poético.

Pedro, Evelize Cristina Silva e Sid Borges do Sopapo Poético com a Dani Carneiro do blog Bibliotecas do Brasil no encontro de saraus de Porto Alegre, durante o encerramento da FestiPoa Literária, no mezanino da Casa de Cultura Mário Quintana.

O escritor Marcelino Freire com Dani e Juliano do Bibliotecas do Brasil e Leticia Tafra Fontoura do G-MÃO - Grupo de Mãos em Ação. No encontro de saraus de Porto Alegre os coletivos além de fazer declamação e leitura de poesias, também tiveram a oportunidade de encontrar pessoas que têm trabalhos semelhantes, trocar experiências e ideias e compartilhar literatura cartonera.


Agradecemos imensamente à Cristiane Cubas que nos recebeu na Casa de Cultura Mário Quintana de braços abertos e nos deu a oportunidade de contar aos convidados sobre o trabalho que fazemos com o blog Bibliotecas do Brasil, falar um pouquinho da Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa e da Minibiblioteca do Sossego, e agradecemos também pela nossa amiga Leticia Fontoura do G-MÃO que falou sobre a Ronda da Fraternidade, iniciativa voltadas para os moradores de rua em Gravataí e Cachoeirinha, em que ela e seus colaboradores levam livros, comida quente, agasalhos, bombons, cobertores, café da manhã e frutas aos moradores de rua.


Texto e fotos: Daniele Carneiro e Juliano Rocha - Creative Commons
Arte: Juliano Rocha
Bibliotecas do Brasil - contato@bibliotecasdobrasil.com

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe