"Todo mundo quer uma oportunidade", Ferréz, escritor

21.6.14

"Eu fui salvo pela literatura que eu fui atrás. Nenhum professor me indicou, ninguém chegava em mim e falava "vai atrás, vai ler", não, eu fui atrás, fui em sebos, de 1 em 1 real que eu comprava os livros usados, eu busquei algum tipo de literatura que me resgatou, que me trouxe senso crítico, que me trouxe boas escolhas em vez de fazer ruins. Isso eu não estou falando só da vida do crime, porque eu não ia ser criminoso, mas a escolha que me deu é de fazer um trabalho de melhor qualidade, de saber tratar minha família melhor, de não ser sexista pra minha esposa, de saber criar minha filha de forma harmoniosa dentro da periferia, fazendo ela entender o lado sofrido mas também que tem um lado de cultura que está dentro da comunidade, tudo isso foi a literatura que me deu". Ferréz, escritor.

O vídeo postado no perfil do escritor Ferréz no Facebook traz o trabalho da Associação Interferência que foi fundada em 2009 no Capão Redondo por ele e mostra a transformação no bairro através das 120 crianças hoje assistidas pela entidade. No Capão Redondo vivem 268 mil pessoas sendo 88 mil crianças e jovens até 19 anos, e não há nenhuma biblioteca pública no bairro.



Crédito das fotos: Jatobb e Catraca Livre
Vídeo: Selo Povo

Daniele Carneiro - Bibliotecas do Brasil
contato@bibliotecasdobrasil.com

Leia mais:

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe