Biblioteca Livre Ler é Viver, Manaus/AM

10.10.13


Leila Maria Flesch é funcionária pública e havia retornado há pouco tempo ao trabalho da sua licença maternidade. "Voltar à rotina é algo muito bom, mas não podia negar que a rotina é rotina, e não há muito colorido nisso, principalmente num trabalho burocrático". Ao pesquisar na internet Leila acabou conhecendo um projeto que existe em São Paulo chamado De Mão-em-Mão que têm pontos em estações de metrôs onde os livros são distribuídos gratuitamente. Leila achou a ideia muito legal e continuou sua pesquisa chegando ao blog Livros e Afins do jornalista Alessandro Martins, que também é o criador da Biblioteca Livre da Pote de Mel, cuja orientação de como montar uma biblioteca livre foi seguida à risca. Trocaram alguns e-mails e a ideia foi ganhando corpo.


Leila plantou a semente em seus colegas de trabalho: Tamara (amante de livros), Miguel (poeta e escritor nas horas vagas), Farides (a bibliotecária querida de todos), Camila e Rafael (que atuam na assessoria de imprensa). Dessa forma nasceu o projeto da biblioteca livre, e com a autorização da chefia está localizada na recepção da Procuradoria da República no Estado do Amazonas. Após uma enquete entre os colegas uma rifa foi vendida para arrecadar fundos para a compra das prateleiras. “Chegamos ao nome Ler é Viver, uma biblioteca livre sem carteirinha ou prazo de entrega, com a simples ideia de pegar, ler e repassar. Não queremos fazer acervo e sim circular livros e consequentemente cultura. Acreditamos que a divulgação vai nos ajudar a conseguir mais doações e pessoas que se disponham a levar uma caixa de livros em busca de leitores. Os livros que logo saem das prateleiras são os de literatura mais fácil. Gibis estão entre os preferidos e rapidamente encontram leitores. Temos contato com algumas pessoas que levam caixas para o interior. Damos uma certa preferência para a literatura infantil nesse caso, pois encontra público certo em qualquer lugar”!


As doações são feitas pelas pessoas que trabalham no órgão, principalmente por aqueles que têm filhos e os leitores compulsivos que praticam o desapego. O público que leva os livros é bem variado já que a Biblioteca Ler é Viver atende várias classes sociais de pessoas humildes à autoridades. “De vez em quando alguma criança aparece aqui e os gibis acabam sendo levados por pais que pensam que os filhos vão gostar”.
No dia 29 de outubro o projeto completou um ano. Leila e seus colegas de trabalho estão programando algumas novidades para chamar a atenção, dar uma repaginada na aparência do projeto e conseguir mais doações. A Biblioteca Ler é Viver é totalmente sem fins lucrativos, são os colaboradores que ajudam no que for necessário e as doações dos leitores que aprenderam a prática do desapego.


“Confesso que embora pareça um projeto simples ele nos enche de entusiasmo. Lamentamos não ter tanto tempo disponível e nem dinheiro para dedicar mais horas a ele. Mas aos poucos e com alguns livros, pensamos plantar uma semente em cada pessoa que se deixa encantar por uma obra e a leva consigo para ler e depois repassar. Adotamos um carimbo com as regras básicas, e um selo que colocamos na frente para deixar bem claro que o livro não é para ser vendido. E recentemente também adotei um carimbo que vocês disponibilizaram da iniciativa Leia, Empreste ou Devolva. Achei legal e aproveitei a arte".


Quem quiser entrar em contato para conhecer ou doar livros para a Biblioteca Ler é Viver, é só acessar o Facebook: https://www.facebook.com/ProjetoLerEViver
Av. André Araújo, n. 358, Aleixo, Manaus/Amazonas.


Daniele Carneiro e Juliano Rocha
contato@bibliotecasdobrasil.com

VocÊ pode gostar também

2 comentários

  1. Tenho muitos livros infantis que eu gostaria de doá-los. Como faço?

    ResponderExcluir
  2. Olá Érida, quem quiser entrar em contato para conhecer ou doar livros para a Biblioteca Ler é Viver, é só acessar o Facebook: https://www.facebook.com/ProjetoLerEViver
    Blog: www.projetolereviver.blogspot.com.br
    E-mail para contato: projetobibliotecalivre@hotmail.com
    Av. André Araújo, n. 358, Aleixo, Manaus/Amazonas.

    ResponderExcluir

Subscribe