Biblioteca Comunitária Ernesto Che Guevara, sem perder a ternura jamais!

26.8.13

Fernando de Andrade Gonçalves é responsável pela Biblioteca Comunitária Ernesto Che Guevara, em Salto/SP. A ideia começou quando ele fazia parte de outra biblioteca comunitária na cidade vizinha de Itu, a Comunateca Waldir de Souza Lima. Tudo começou no ano de 2010, onde com ajuda da Comunateca, Fernando foi juntando um acervo para compor a nova biblioteca. Ele falou com o prefeito na época sobre sua ideia, e foi cedida uma sala no Centro Municipal de Lazer Geraldo Fabri. Assim a Biblioteca Comunitária Che passou a ter um local para realizar suas atividades junto à comunidade em um trabalho totalmente voluntário.


Quando tudo estava organizado e quase pronto, faltando só instalar as estantes, um problema na caixa d'água alagou a sala, destruindo metade do acervo. Mas Fernando não desistiu, e começou a recompor a biblioteca. Meses depois o projeto foi iniciado, abrindo às terças e quintas-feiras, aos sábados e domingos, inicialmente com todo o trabalho sendo feito por Fernando, e depois, com mais alguns voluntários. "A biblioteca  também serve para a educação não formal, aumentando a bagagem cultural de cada criança".



Yo no creo en las brujas, pero que las hay las hay

Mas no fim de 2012, com uma nova gestão na cidade, a administração do município resolveu pedir de volta a sala onde funcionava a Biblioteca Che, e Fernando teve que fechar as portas de um projeto que mostrava resultados muito positivos com uma boa presença de público adulto e infantil. Foi uma notícia decepcionante que atingiu a biblioteca e seus frequentadores. Fernando foi chamado pela Secretaria de Cultura que intercedeu pela Secretaria de Ação Social para a desocupação da sala, a atual administração tinha urgência para iniciar novas atividades no local. O projeto era transformar a sala onde funcionava a biblioteca em "vestiário do time de futebol americano".


A biblioteca estava para completar 3 anos de existência prestando trabalhos relevantes para a comunidade dos bairros de Bom Retiro II, São Judas e São Gabriel.  Segundo Fernando, "o sonho é poder ir para um lugar com espaço suficiente para que todos possam ter acesso aos livros com tranquilidade e dignidade, por enquanto 'raros' nos trabalhos para a periferia".
Com o fechamento da sala e a desocupação da biblioteca, Fernando definiu uma nova designação: "passaremos a chamar Núcleo Alternativo e Comunitário de Leitura Ernesto Che Guevara. Não somos biblioteca apesar do acervo, trabalhamos de forma aberta e desburocratizada, sem prender-se em tecnicismos, estamos aqui para facilitar o acesso à leitura como lazer e entretenimento, mas com discernimento."

Hasta la victoria siempre

Depois de algum tempo pensando no que faria com o acervo, ele resolveu iniciar um novo projeto disponibilizando aos moradores do bairro todos os livros que havia conseguido, numa praça de forma improvisada, mas levando à cabo o conceito de democratização da cultura. A Biblioteca Comunitária Ernesto Che Guevara também realizará exibições de filmes para levar o conceito de cineclube para os moradores. Fernando está amadurecendo um projeto no Catarse, "para conseguir um veículo e tornar realmente itinerante a ideia e atender o maior número de pessoas que pudermos, por isso precisamos de muita divulgação e simpatizantes!"  


Chão de cimento: Sem a sala onde a Biblio Che funcionava, as atividades foram transferidas para Praça do Bom Retiro II

Atividades recreativas que eram feitas na sala onde ficava a biblioteca passaram a ser improvisadas dessa forma.

Hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás!



Cinthia Bersonette é esteticista, moradora de Salto, e sempre gostou de dar apoio à projetos com crianças, "há uma necessidade urgente de tirarmos as crianças da rua, então, solicitei às minhas amigas e amigos do Facebook, que me enviassem gibis para usar no projeto". Cinthia escreveu em seu mural: "Gente, eu tenho 368 amigos no face, se cada um doar apenas um gibi pra Biblioteca Che, teremos 368 gibis pra criançada. Quem não tem, compra um no sebo pra alegrar a criançada , vamos colaborar com Fernando Gonçalves, o idealizador desse projeto, que estará hoje a partir das 14 hs na pracinha do São Judas". Cinthia conseguiu 250 gibis que farão a festa da criançada do Bom Retiro II. "Certamente, sem a solidariedade dos amigos eu não conseguiria. Estou profundamente agradecida pela confiança, carinho e solidariedade".

Em Agosto de 2013, a Biblioteca Comunitária Ernesto Che Guevara, deu início ao novo projeto, a "Biblioteca Marginal", encontro que acontece no ponto final do ônibus São Judas, na rua São Lourenço s/n no bairro Bom Retiro II. A intenção é chamar a atenção para os espaços públicos tão abandonados da cidade, e levar as pessoas a adotá-los como um espaço de convivência para os idosos e crianças e toda a população. "No dia 22 de Agosto de 2013 foi a nossa primeira atividade na Praça do Bom Retiro II em Salto "da ponte pra cá" agora também rola a cultura proporcionada pelos livros e literatura!"



Neste primeiro momento a Biblioteca Marginal irá se limitar a ganhar admiradores, novos voluntários e apoiadores. "É uma ação em prol da cultura, com ocupação de espaço público para democratização da leitura na periferia. Todos estão convidados a dar um pulinho, para bater um papo, escolher sua próxima leitura,  jogar uma partida de xadrez! Ou simplesmente dar um tempo na rotina e jogar conversa fora impunemente. Mas venham!"

Quem quiser colaborar com a Biblioteca Comunitária Ernesto Che Guevara e também com o novo projeto, a Biblioteca Marginal pode entrar em contato através do email: chehastasiempre@gmail.com e também nesses links:

Biblioteca Comunitária Ernesto Che Guevara: https://www.facebook.com/Bibcomche
Biblioteca Marginal: https://www.facebook.com/pages/Biblioteca-Marginal/155038298030175?ref=hl


Leia mais:




Daniele Carneiro
contato@bibliotecasdobrasil.com
Arte: Juliano Rocha
Fotos: Biblioteca Che e Cinthia Bersonette

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe