Escritoras Cartoneras

1.7.18


Com o objetivo de celebrar e divulgar o trabalho de mulheres, e encorajar ainda mais mulheres a escrever e publicar seus próprios livros, eu (Dani da Magnolia Cartonera) e a Olga Sotomayor Sanchéz da Olga Cartonera do Chile, juntamos nossas forças para montar essa lista de escritoras cartoneras. É nossa intenção jogar luz sobre os trabalhos que já estão sendo realizados por mulheres através dos livros cartoneros.
É também objetivo do blog Bibliotecas do Brasil, conhecer as autoras cartoneras que já tiveram seus trabalhos publicados, e encorajar a escrita, a arte e a publicação de mais mulheres no mundo cartonero. Queremos apoiar autoras e artistas mulheres que já tenham pelo menos um livro publicado em seu próprio nome. Queremos que mais mulheres se sintam confiantes em viabilizar sua escrita e que possam gerar renda com sua arte.

Muitas das mulheres dessa lista encontraram na publicação independente uma forma de viabilizar seus trabalhos. A publicação de livros cartoneros é uma alternativa para as mulheres de concretizar sua escrita e possibilitar a circulação de seus livros e ter suas vozes ouvidas. O livro cartonero é um meio perfeito para trazer a arte e a criação das mulheres para o mundo e fazer com que elas consigam encontrar leitoras e leitores. Com trabalhos bastante variados, os livros artesanais com capas de papelão carregam as múltiplas realidades de cada escritora e de cada artista. Para algumas mulheres, os livros além de ser um meio de expressão, são também uma forma de gerar renda através de sua escrita e arte, como um trabalho informal remunerado. Outras mulheres preferem se dedicar à escrita sem monetizar os livros. Algumas realizam oficinas em escolas e bibliotecas. Em sua grande maioria, elas vendem os livros pela Internet, através de lojas virtuais ou então de mão e mão em feiras literárias. Algumas têm apreço pelo trabalho coletivo, outras preferem o trabalho individual. As realidades particulares de cada uma das mulheres são múltiplas e cada uma segue seus próprios princípios.

Muitas das editoras cartoneras dessa lista foram criadas porque mulheres decidiram publicar seus próprios livros e os livros de outras mulheres. E continuam se dedicando à essas atividades. Na publicação independente, através das muitas editoras cartoneras criadas por mulheres, seja na intimidade de casa, ou em espaços transformados em oficinas, escritórios e ateliês, as mulheres têm usado os recursos que encontram ao seu alcance para tornar a escrita, a publicação e a circulação de seus livros em um ato possível.

— Importante declarar: essa lista não é definitiva. Há muitas escritoras cartoneras para localizar, entrar em contato e acrescentar o nome na lista. Se você é uma escritora cartonera, entre em contato, vamos adorar ter o seu trabalho incluído.

— Esse é um trabalho em andamento: é o nosso desejo atualizar a lista com mais nomes de escritoras cartoneras dos mais variados países com pelo menos um livro lançado de autoria própria. Se você deseja ter o seu nome nessa lista, envie um email para contato@magnoliacartonera.com | ou para a olgacartonera@gmail.com com uma foto, seu país, os nomes dos livros que já tem publicado em seu nome e o nome da editora cartonera que publicou.

Queremos localizar escritoras negras que estejam publicando cartoneras.

— Você é escritora cartonera com pelo menos um livro lançado em seu nome? Entre em contato conosco: contato@magnoliacartonera.com

Essa lista é inédita, para conhecimento e divulgação. Essas são algumas das mulheres talentosas, que têm se dedicado à publicação cartonera:

Elizabeth Cárdenas (Chile) 

É fundadora da Joyita Cartonera. Já publicou com a Calafate Cartonera, que encontra-se fora de atividade. E agora publica com sua própria editora cartonera, a @LaJoyitaEditora. Já publicou com a editora espanhola Cartonera Island. A Joyita Cartonera faz publicações em escala humana. Trabalha com encadernação, livros-arte, ilustração e crítica literária. Obras lançadas:

— 'En la boca del lobo' pela Calafate Cartonera em 2013
— 'En la boca del lobo' pela La Joyita Cartonera em 2014
— 'Alicia en Llamas' pela La Joyita Cartonera em 2015
— 'Alicia en Llamas' pela Cartonera Island 2017

Elizabeth

Olga Sotomayor Sánchez (Chile)

Olga Sotomayor Sánchez é criadora de uma das 26 editoras cartoneras do Chile. "Com papelão reciclado, faço livros únicos, originais e irrepetíveis feitos à mão. Formei a Olga Cartonera para me publicar. 'Sussurros que gritam' é de minha responsabilidade, primeiro título do catálogo da Olga Cartonera, depois fui publicada pela Opalina Cartonera, e no ano passado pela La Verónica Cartonera". A La Verônica Cartonera é a primeira editora cartonera da Catalunha. Obras de autoria da Olga:

— 'Susurros que gritan'  - lançado pela Olga Cartonera em 2013
— 'Hablando conmigo'  - lançado pela Opalina Cartonera 2014
— '100 DIAS'  - lançado pela La Verónica Cartonera 2017

Olga


Olga também publica várias escritoras através da editora Olga Cartonera

Paz Crovetto com o livro de poesia 'Poemas errantes' de 2014.

Paz


Patricia Fénix com o livro de poesia 'Desde las cenizas' de 2014.

Patricia

Fernanda Pastén com o livro infantil ilustrado 'El increíble oficio de mi papá' de 2015

Fernanda

Ruth Pérez Aguirre com o livro de contos infantis 'Cuentos' de 2016. O perfil com foto da Ruth está publicado mais abaixo nesse post.

Mariela Fernández-Loyal com o livro de contos infantis 'Jikisxaña' de 2016.

Mariela


Loreto Novoa com o livro de tuiteratura 'Fotos con los ojos' de 2017.

Loreto

Daniele Carneiro (Brasil)

"Conheci as cartoneras em Porto Alegre em 2014, no Encontro de Saraus realizado na FestiPoa Literária, durante o lançamento dos livros-arte do Jornal Boca de Rua, com poesias escritas por pessoas em situação de vulnerabilidade social. As capas eram artes abstratas e colagens, ilustradas por artistas plásticos apoiadores do projeto. Fui impactada por aquele carinho e receptividade que encontrei em Porto Alegre e foi amor à primeira vista pelas cartoneras. Três meses depois, junto com o Juliano Rocha, lançamos a Cartonera Bibliotecas do Brasil e no mesmo ano, criamos a Magnolia Cartonera, com o objetivo de nos dedicar à autopublicação dos livros que temos em mente. Temos 5 livros lançados, sendo 3 deles sobre bibliotecas inovadoras, bibliotecas comunitárias, bibliotecas livres, projetos de incentivo à leitura, ações de partilha de livros, assuntos que já eram nossa especialidade no blog Bibliotecas do Brasil. É de minha responsabilidade desenvolver e organizar os projetos dos livros que serão lançados. Eu escrevo e o Juliano faz toda a identidade visual. Em 2016 pude transformar a Magnolia Cartonera em meu trabalho de tempo integral. Os livros da Magnolia Cartonera estão presentes nos acervos da British Library em Londres, na Universidade de Berkeley na Califórnia, na biblioteca da Universidade Chapel Hill na Carolina do Norte e na biblioteca da Universidade de Wisconsin–Madison. Em julho de 2018 os livros e zines da Magnolia Cartonera estarão presentes no  SALALM - Seminar on the Acquisition of Latin American Library Materials - Seminário sobre a Aquisição de Materiais Latino-Americanos para Bibliotecas na Cidade do México". 

Obras de autoria de Daniele: 

Ideias para Bibliotecas Livres - Um Manual Prático de Autogestão Independente (2015)
Cartonera Bibliotecas do Brasil (2014)  - em coautoria com Juliano Rocha

Daniele


Patrícia Vasconcellos (Brazil)

"Já tenho uns vinte livros publicados. A Caleidoscópio é uma editora que publica de forma artesanal (eu confecciono os livros), cartonera (com capas de papelão) e, também, na forma tradicional. A Maracajá é o selo cartonera da Caleidoscópio. Escrevo muito para crianças. Meu cartonera para elas é 'Benedicto, o amigo invisível', é uma história onde um menino tem um amigo que só ele vê. A capa é de papelão reciclado e a xilogravura de J.Borges. Tenho outro cartonera que relata minha viagem à Sibéria e a capa foi pintada à mão (Meu encontro com o xamansmo siberiano). Os livros 'Trocando de Lugar', 'Jardim Encantado' e 'O Rei Poderoso' ainda estão na versão da impressão tradicional. Quando acabar o estoque serão impressos como os outros, em impressora jato de tinta ou a laser.  'Eu, borboletas' tem capa de papelão e é carimbado na frente e atrás. O 'Meu encontro com o xamanismo siberiano' também tem capa de papelão reciclado, pintada à mão. Os outros são de papel de maior gramatura e todos impressos na própria editora. O livro 'Mala quadrada, cabeça quadrada' é nosso primeiro livro-ilustrado e está sendo impresso em gráfica, por conta da especificidade do projeto gráfico. Também tem o livro 'Doida? Feliz!' (com capa em papel vegetal). O livro 'Ela, normal, eu borboletras' com capa carimbada, e estes dois são para adultos".

Patricia

Claudia Rodríguez (Chile)

Tem trabalhos autopublicados e também faz parte do catálogo da Juanita Cartonera do Chile com 'Enferma del alma'. Também tem o 'Manifiesto Horrorista y Otros Escritos' em co-edição da Juanita Cartonera e Isidora Cartonera
Claudia

Elizabeth Neira - Chile

Tem os seguintes livros lançados:

— 'Abyecta' pela Kiltra Cartonera em 2012
— 'Abyecta' pela Camareta Cartonera (da cidade de Guayaquil no Ecuador) em 2014

Elizabeth

María Paz Ruiz Gil (Colombia)

María Paz Ruiz Gil é colombiana, e atualmente reside em Madrid na Espanha. Ela têm publicado seus livros com as Meninas Cartoneras e La Gata Viuda Cartonera. Obras publicadas:

— 'Redes sexuales' pela Meninas Cartoneras em 2016
— 'Micronopia' pela Meninas Cartoneras em 2011

María

Macarena Yupanqui (Chile)

Macarena Yupanqui publicou com Isidora Cartonera e então fundou, junto com John Bacanalés, a Opalina Cartonera onde também há títulos dela. Obras lançadas:

— 'Yupnaqui' pela Isidora Cartonera em 2013
— 'Síncope' pela Isidora Cartonera 2014
— 'Fiesta autista' pela Isidora Cartonera 2014

Macarena

Ruth Pérez Aguirre (México) 

Tem publicado seus textos em sua própria editora cartonera, a Hturquesa Ediciones. Algumas obras publicadas: 

— 'Mujeres que no callan'
— 'La Casa Ofendida' (contos infantis) 
— 'El Mercado de Los Apellidos'.

Ruth

Carmen Berenguer (Chile)

Carmen Berenguer autopublicou o livro 'Bobby Sands desfallece en el muro' impresso de maneira artesanal em 1983 durante a ditadura e depois, com a Animita Cartonera (em 2009), e agora com La Joyita Cartonera (2015).

Carmen

Tania Toledo (Chile)

É fundadoda da La Grullita Cartonera. Ela nasceu na Argentina e agora vive no Chile. Obras lançadas:

— 'Leyenda del mate' - La Grullita Cartonera em 2017


Tania

Liz Gallegos (Chile)

A poeta e encadernadora Elizabeth Gallegos publicou 'Dolores' com a La Grullita Cartonera e logo lançou sua própria editora cartonera, a Liz Ediciones @Ediciones_Liz
Elizabeth Gallegos y Victoria De Los Ángeles Ramírez Llera (Chile) publicaram de forma independente o livro 'Juntas y Revueltas' em formato convencional. Depois elas publicaram esse mesmo livro em versão cartonera com a La Joyita Cartonera.

Liz

Yasmín Fauaz Núñez (Chile)

Yasmín Fauaz Núñez é de Santiago do Chile, fundadora da @LokitaCartonera. Loquita Cartonera é um projeto de micro-publicação focado em livros-arte e na reciclagem. Obras lançadas:

— 'La danza de los cuerpos'
— 'Ay de los espejos'
— 'Juego de palomas...quise escribir poesía, salió gore' (2017)

Yasmín - Foto: Calafate Cartonera

Victoria Lozano (Chile)

Victoria Lozano se autopublicou no Chile com o Taller Colectivo AnarTistas (coletivo) e também foi parte da Nómada Cartonera no México. Obras lançadas:

— 'Fauna urbana'. Taller Colectivo Anartistas (2015)
— 'Peces intactos' Taller Colectivo Anartistas (2015)

Victoria

Alicia Cuerva (França)

Alicia Cuerva criou a Cosette Cartonera e publicou o livro "Recetas que vuelan", um livro de receitas de culinária vegana latino-americana em 2017.

Alicia

Idalia Morejón Arnaiz (Brasil)

Idalia Morejón Arnaiz, diretora da Malha Fina Cartonera, tem o livro 'Caderno de Vias Paralelas' publicado pela Mariposa Cartonera de Recife/PE. Segundo a Mariana Costa Mendes, integrante da Malha Fina Cartonera: 'No próximo semestre a Malha Fina Cartonera vai lançar 3 livros de autoras mulheres: um da Paloma Vidal, outro da Mayra Guanaes (uma das autoras selecionadas na II Convatória) e outro da Reina María Rodríguez'.

Idalia


Atualização em 05 de julho de 2018.

Lourdes Saavedra Berbetty (Bolívia)

Lourdes Saavedra Berbetty faz parte da Yerba Mala Cartonera e pela editora lançou o livro de poesia 'Memorias de un walkman' em 2008.



Gabriela Bejerman (Argentina)

Gabriela Bejerman é escritora e cantora de Buenos Aires. Lançou os livros de poesias 'Pendejo' e 'Ubre' pela Eloísa Cartonera



Atualização em 16 de julho de 2018

Michele Batista (Brasil)

Michele Batista é escritora e artesã e tem suas raízes nos quilombolas de Lagoa dos Gatos, agreste de Pernambuco. É mãe de dois filhos e adora a vida livre em contato com a natureza cercada de gatos e borboletas. Todos os seus trabalhos foram publicados pela Caleidoscópio Editora através de seu selo, a Maracajá Cartonera. Em 2015 Michele publicou a poesia 'Você', no livro Lagoa Encantada de Patrícia Vasconcellos (autora que está nessa lista de escritoras cartoneras). Também em 2015 publicou o livro 'A Mula Mágica sem Cabeça', com capa de papelão confeccionada artesanalmente pela própria escritora. Em 2017 publicou o livro 'Borboletas Azuis', impresso artesanalmente em papel polén o miolo do livro e a capa de papelão reciclado. 

Michele

Danielle Barros (Brasil)

"Sou professora da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), e atuo como arte educadora com quadrinhos e fanzines no ensino de biociências e saúde (sendo este o tema da minha tese de doutorado na Fiocruz/RJ defendida em 2017), desenvolvendo oficinas criativas por todo Brasil. Recentemente conheci o universo das publicações cartoneras e me encantei, não apenas com a beleza das publicações, mas pela ideia da reutilização do papelão em obras de arte, poesia e literatura! Eu que sou bióloga, artista e engajada nas questões sobre divulgação científica, preservação ambiental e consumo consciente, acredito que a iniciativa das editoras cartoneras são importantíssimas e devem ser amplamente disseminadas, apropriadas na vida, na rua, em todos os lugares, inclusive no âmbito escolar e acadêmico. Pretendo continuar publicando de forma independente e além das oficinas de quadrinhos, almanaques e fanzines que já desenvolvo, vou realizar oficinas criativas de publicações cartoneras para estimular novos/as artistas e autores/as no universo cartonero! Este ano estou desenvolvendo a identidade visual e nome da minha editora independente, que em breve será registrado".

Danielle Barros já publicou inúmeros zines, e atualmente se dedica à essa atividade. Em formato cartonero, publicado de forma independente e de autoria própria, em 2016 ela lançou 'Lua Menina' em formato A5, com 36 páginas e miolo preto e branco. A publicação de tiragem limitada, tem exemplares exclusivos numerados, com capas feitas à mão a partir da reutilização de papelão, inspirada nas obras da literatura cartonera e no movimento do "faça você mesma", do mundo dos fanzines. São páginas com HQforismos poético-filosóficos com a personagem indígena Sibilante. 'O nome do zine traz a simbologia da Lua enquanto totem, em suas páginas revelo através da arte e simbologias alguns aspectos da minha sombra e luz no processo de autoconhecimento'. A cartonera foi lançada durante o III Fórum Nacional de Pesquisadores em Arte Sequencial, o III FNPAS na Universidade Federal de Goiás (UFG), em Goiânia, no dia 22 de outubro de 2016.

Danielle Barros

****

Agradeço imensamente à Olga Sotomayor pela riquíssima colaboração para a realização dessa lista e indicação dos nomes e obras das escritoras. Vamos seguir em frente, e que muitas mulheres se sintam inspiradas a escrever, publicar e confeccionar suas cartoneras. 

Os créditos das fotos são de divulgação das próprias autoras, coletadas por Olga Sotomayor (Olga Cartonera/Chile) e Daniele (Magnolia Cartonera/Brasil)
Informações: Olga Sotomayor (Olga Cartonera) - Email: olgacartonera@gmail.com
Informações adicionais: Daniele (Magnolia Cartonera) - Email: contato@bibliotecasdobrasil.com
Arte: Juliano Rocha (Magnolia Cartonera) sobre foto de darkday

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe