Diversidade LGBTQ nas bibliotecas: Drag Queen contadora de histórias

20.9.16

Aqui no blog Bibliotecas do Brasil e em nossa vida pessoal, temos uma paixão por pesquisar histórias sobre bibliotecas, e principalmente por bibliotecas capazes de criar e manter ambientes seguros e de aceitação para a sua comunidade leitora, capazes de atender todos os públicos sempre focando na diversidade. Nós admiramos espaços de leitura e gestões de bibliotecas que são capazes de abrir a mente para as diferenças humanas, comprometidas com o combate aos preconceitos, às discriminações e ao ódio, capazes de promover a paz e a confraternização de públicos.
Por causa dessa nossa constante busca por bibliotecas envolvidas em práticas, ações e programações igualitárias, que dão voz aos públicos que geralmente não têm suas vozes ouvidas, chegamos à Brooklyn Public Library em Nova York, que está promovendo uma atividade incrível de reconhecimento e incentivo à comunidade LGBTQ (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e queers). A Biblioteca Park Slope, que é uma das filiais da Biblioteca Pública do Brooklyn está promovendo uma contação de histórias para crianças feitas por uma drag queen, a ativista pelos direitos LGBT, Lil Miss Hot Mess.


A drag queen contadora de histórias encantou o público da biblioteca. Foto: Facebook Park Slope Library

Confira a divulgação do evento:


Diversidade na biblioteca - Drag queen encanta crianças durante contação de histórias. Foto: The Feminist Press at CUNY
 A filial Park Slope da Biblioteca Pública do Brooklyn tem o prazer de hospedar uma apresentação da Feminist Press: Drag Queen Story Hour (Hora da Contação de Histórias Drag Queen)No espírito de uma exploração sem limites de si mesmo que os grandes livros proporcionam, a Feminist Press apresenta uma nova série de leitura para crianças na Biblioteca Pública do Brooklyn, com contos clássicos lidos por drag queens."Drag Queen Story Hour quebra os pensamentos mais retrógrados sobre gênero enquanto eleva os ideais de diversão, resolução e feminilidade para todas e todos", diz Jennifer Baumgardner, diretora executiva e editora da Feminist Press.Michelle Tea, curadora das Amethyst Editions da Feminist Press, irá fazer a introdução da hora de contação e Lil Miss Hot Mess irá contar uma história do livro Tatterhood (contos folclóricos noruegueses).



As responsáveis pela Hora da História Drag Queen na manhã da Biblioteca Park Slope: Lil Miss Hot Mess, Michelle Tea, Rachel Aimee e Jennifer Baumgardner - Foto: Facebook Park Slope


Lil Miss Hot Mess é uma drag queen que já se apresentou em bares gays, universidades, no Museu de Arte Moderna de São Francisco e nas ruas do Occupy São Francisco. Michelle Tea é a autora de cinco memórias, incluindo Valencia, Rent Girl e How to Grow Up. Entre seus livros de ficção estão Rose of  No Man’s Land e uma trilogia de livros de fantasia infanto-juvenis. Ela co-criou a turnê performática Sister Spit e fundou a ONG literária RADAR Productions. Tea é a curadora da coleção Amethyst Editions para a Feminist Press. Faixa etária: crianças
A drag queen Lil Miss Hot Mess - Foto: FBFE




Park Slope Library (BPL) é uma das mais belas bibliotecas Carnegie do Brooklyn em Nova York, que atende o bairro Park Slope seis dias por semana. Foto: Facebook Park Slope


Gostou? Temos mais ideias para você nos livros da Magnolia Cartonera


O capítulo de abertura do livro Bibliotecas Mudam o Mundo tem textos sobre a necessidade cada vez mais presente de programações voltadas para o público LGBTQ nas bibliotecas. Trazemos exemplos de como algumas bibliotecas já estão se transformando e transformando a realidade de suas comunidades para incluir programações voltadas ao público LGBTQ. Mostramos como esses espaços de leitura podem ser locais seguros, de aceitação, tolerância e combate ao ódio para jovens e adolescentes gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros e queers. No livro Guia Prático para Bibliotecas Comunitárias nós também falamos sobre o atendimento voltado para a comunidade leitora LGBTQ por bibliotecas. Conheça os livros em nossa loja online.





Texto: Daniele Carneiro - Bibliotecas do Brasil
Tradução: Juliano Rocha
contato@bibliotecasdobrasil.com
Com informações da Biblioteca Park Slope e da Biblioteca Pública do Brooklyn

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe