Engenho vira biblioteca em Bititinga, Alagoas

18.9.12

O Engenho de Leitura e Artes Bititinga é um projeto criado pela jornalista Vanessa Omena, para incentivar a leitura, a arte e o empreendedorismo no meio rural por meio de atividades recreativas e palestras envolvendo crianças, adolescentes, jovens e adultos do povoado Bititinga, local onde funcionava um engenho e uma usina de açúcar, localizado no município de Messias, em Alagoas. O projeto está em desenvolvimento desde Junho de 2012, e ocorre nessa localidade em que durante gerações a família da Vanessa viveu e trabalhou, mas infelizmente, desde o início da década de 90 quando a usina foi vendida, e alguns anos depois desativada, o que era antes um local de muito dinamismo ficou quase abandonado. Vanessa está empenhada na recuperação desse local.

Diogo é uma das crianças que participa das atividades culturais do projeto Engenho de Leitura e Artes Bititinga.

Sua equipe de projeto ainda é pequena, mas determinada. Com o apoio de sua mãe Lena Omena, que morou na usina até 1969, e de seu filho Louis atualmente com 11 anos, eles decidiram iniciar as visitas à Bititinga, conversar com alguns moradores antigos, e fazer o projeto juntamente com as doações de livros  para formar uma biblioteca comunitária. Vanessa é uma jornalista atualmente voltada para pesquisas sobre genealogia da sua família, e esse projeto tem sido muito importante para resgatar as memórias familiares e poder contribuir com esse lugar que ela e sua família tanto amam, a Bititinga.

A jornalista Vanessa Omena, criadora do Engenho de Leitura e Artes Bibitinga com Rayanne, uma das crianças da comunidade

O povoado de Bititinga onde está sendo realizado o projeto Engenho de Leitura e Artes, fica localizado na zona rural do município de Messias, em Alagoas, inserido na microrregião da Zona da Mata do estado. Fica localizado às margens da BR-101, distante 33 km da capital, Maceió. Messias é conhecida como a “capital da cana-de-açúcar” devido à plantação expressiva da lavoura canavieira desde os primeiros séculos da colonização portuguesa, a partir da instalação de engenhos de cana-de-açúcar, que predominaram na região até o século passado, e depois foram transformados em usinas. Para Vanessa a implantação do Engenho de Leitura e Artes Bititinga “foi muito interessante, pois cada vez sentimos mais envolvimento da comunidade nas atividades que fazemos”.  Um casal morador da comunidade, Geraldo Lino e Aparecida, fica responsável pelo acervo da biblioteca que tem sido abastecido por arrecadações e doações que Vanessa e sua equipe promovem. Além dos livros, Vanessa e seu filho Louis levaram mudas de sapoti, seriguela, ipês amarelos, roxos, brancos e cor de rosa, e diversas outras espécies que vão dar mais beleza e conscientização para a preservação da flora da região. Faz parte das ações do projeto, conseguir um curso de artesanato para as mulheres do povoado. Eles inclusive já levaram algumas ideias para os moradores da comunidade que gostam da arte de costurar, fazer bijuterias, arranjos florais, entre outros trabalhos manuais. Por enquanto não existe sinal para internet na Bititinga, mas Vanessa está confiante de que chegará em breve.

Louis, o filho de Vanessa que tem 11 anos, levou material e fez uma oficina sobre como trabalhar com pequenas caixas de madeira, um incentivo para o artesanato se transformar em uma atividade rentável na comunidade

Como colaborar:

Quem quiser saber mais a respeito do Engenho de Leitura e Artes Bititinga, e ver fotos das ações realizadas, pode acessar o blog do projeto, ou entrar em contato com a Vanessa para ajudá-la com doações de livros através dos seguintes e-mails: vanessaomena@hotmail.com e engenhodeleitura@gmail.com

Daniele Carneiro
contato@bibliotecasodbrasil.com
Fotos: Vanessa Omena

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe