Biblioteca Feminista Cora Coralina está fechada há 6 meses por causa de destelhamento

19.5.16

Uma lamentável notícia nos pegou de surpresa hoje: a Biblioteca Cora Coralina de Guaianases em São Paulo está fechada desde novembro de 2015 por causa de um destelhamento.

 Fotos por Anna Beatriz Anjos

Há um comunicado no Facebook da Biblioteca publicado no dia 3 de dezembro de 2015 onde é informado o seguinte:


O blog Mural noticiou sobre o aniversário de 50 anos da Biblioteca Cora Coralina que será na próxima sexta-feira, dia 20 de maio, mas infelizmente o espaço de leitura encontra-se fechado ao público. O blog ainda informa que 'inaugurada em maio de 1966, a biblioteca esteve na vanguarda de algumas ações que favoreceram o incentivo à leitura, como ter sido o primeiro a oferecer uma programação no período noturno para atender os trabalhadores, e a criação do sarau feminista "Junte-se na Luta". O fechamento prejudicou o trabalho e o estudo de alguns moradores'.

Em uma matéria de 16 de abril de 2016 na Folha de São Paulo, há a informação de que uma ventania danificou o telhado em novembro de 2015, e a água passou a se acumular na laje. Para não prejudicar a estrutura, buracos foram abertos para a água escoar. A previsão era de que em 3 meses a biblioteca seria reaberta.

São 6 meses que as pessoas são privadas de todos os benefícios que a biblioteca oferecia à comunidade leitora. E mesmo depois de tanto tempo que ocorreu o destelhamento na Biblioteca Cora Coralina, o blog Mural informa que 'as telhas derrubadas pelo temporal ainda permanecem no chão. No portão, há avisos que sinalizam sobre o ocorrido. Um deles indica uma reforma no local e a localização de outras duas bibliotecas próximas'.


No ano passado aqui no blog Bibliotecas do Brasil fizemos dois posts comemorando a inauguração da Sala Temática Feminista (relembre os posts). Nós que amamos bibliotecas ficamos muito felizes em divulgá-la e mostrar um espaço tão importante para a comunidade, principalmente por causa de sua sala temática feminista que virou referência nacional, assistimos e partilhamos em nossas redes sociais vários vídeos que mostravam uma biblioteca perfeitamente integrada à comunidade ao seu redor.

Descaso
Mas o que houve para que de um dia para outro uma biblioteca fosse deixada de lado dessa forma? Uma biblioteca não pode ser deixada de lado e esquecida pro causa de um problema que pode ser facilmente resolvido. Qual é a dificuldade em arrumar o telhado e fazer uma prevenção para que esse tipo de problema não aconteça mais no futuro? Por quê tanta demora para que seja providenciada uma melhor estrutura para a biblioteca funcionar, e devolvê-la o mais rápido possível para as pessoas? 

Uma biblioteca depois que tem suas portas fechadas ao público dificilmente volta a funcionar. Aqueles que deveriam ser os mais interessados em colocá-las em atividade, funcionando novamente para as suas comunidades não demonstram interesse e vontade política em recuperá-las. Já vimos isso acontecer com a Casa Kozák aqui em Curitiba que ficou 5 longos anos esquecida, sendo depredada e só agora às vésperas das eleições passa por reformas e está sendo utilizada como objeto de campanha de candidatos que antes não se faziam presentes e não demonstravam interesse em sua recuperação, e também com a Casa da Leitura Franco Giglio, completamente abandonada e esquecida, e o órgão público que deveria ser responsável por ela, não toca no assunto há mais de 2 anos.

Temos que nos escandalizar quando bibliotecas são fechadas. Temos que demonstrar nossa indignação, partilhar o assunto, repercutir nas redes sociais e nos mobilizar. Aqui em Curitiba a cada vez que uma biblioteca é fechada por falta de manutenção, por questões que poderiam ser facilmente resolvidas, são 4, 5 anos de descaso. Não vamos deixar que a Biblioteca Cora Coralina seja mais um caso de biblioteca pública perdida no limbo, sofrendo com descaso.
No Brasil inteiro existem bibliotecas que estão abandonadas, esquecidas, funcionando em situação precária, algumas até causando risco às pessoas que frequentam seus espaços. Confira algumas dessas situações.



VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe