Inauguração da Minibiblioteca Ilha de Camões em Curitiba

11.8.14

Colocar em circulação livros em comum, partilhar livros e leitura, alcançar ao mesmo tempo vários leitores e incentivar o hábito da leitura ao ar livre, bem como nos mais diversos momentos e horários do dia a dia. Não é fácil manter uma minibiblioteca livre, mas não é impossível. Os objetivos de uma minibiblioteca livre em um espaço público exigem muito da virtude, da mente aberta, do empreendedorismo e do senso de comunidade daqueles que compartilham. O ideal é compartilhar. Para compartilhar precisa-se de desapego, deixar o livro ir.
As sensações mais compensadoras de montar uma Minibiblioteca Livre é poder ver o dono do livro entendendo que chegou o momento de se desapegar e permitir que outro leitor possa se beneficiar daquele livro, e ver o próximo leitor explodindo de alegria quando encontra aquela obra que tanto queria ler, que tanto havia procurado se materializar ali em sua frente, através de doações, e que ele poderá levar de graça para casa, sem se preocupar com a data de devolução.



Tivemos uma grandiosa manhã de domingo na inauguração da Minibiblioteca Ilha de Camões, iniciativa da Rita Marie e do Dráuzio Almeida. Ela fica localizada no Jardinete Poeta Leonardo Henke, no bairro Hugo Lange, no encontro das ruas Itupava e Camões - daí o seu nome. A Minibiblioteca é livre, voluntária, independente, gratuita, acessível à todos e necessita da solidariedade das pessoas para manter seu acervo através de doações.


O casal Rita Marie e Dráuzio Almeida (no centro da foto) deram as boas-vindas aos futuros leitores da Minibiblioteca Ilha de Camões.

Do Facebook da Minibiblioteca Ilha de Camões: 

"Na manhã deste domingo (10/08/2014) inauguramos a minibiblioteca. O evento foi marcado pela presença de moradores da região e de tantos outros cantos da cidade, sensibilizados pela cultura e pelas questões urbanísticas. Todos dispostos à convivência, ao diálogo, à cidadania. Todas consideram que a leitura é significativa para nossa sociedade, para a humanização. Os encontros tem grande poder, o encontro entre pessoas, entre pessoas e livros, etc. 
A minibibliteca está aberta 24h todos os dias da semana todos os meses do ano. E aceita doações sempre também para que possa dar conta da demanda de leitura que ela gera. 
Gratidão a todos os presentes!"



Daniele Carneiro coloca a edição de 1954 de Os Lusíadas para inaugurar a Minibiblioteca, esse foi nosso presente simbólico em homenagem à sua inauguração, e ele deu o pontapé inicial às doações que se seguiram. Na foto: Rita Marie da Minibiblioteca Ilha de Camões, Dani do blog Bibliotecas do Brasil, e o senhor Jorge, que atualmente está morando na praça.


Juliano Rocha do blog Bibliotecas do Brasil fez suas doações.


Rita posou orgulhosa com os exemplares de livros com contos da sua filha Tatiana Angéle, e fez questão de também doá-los para o acervo circulante da Minibiblioteca Ilha de Camões.


Apresentando a minibiblioteca Ilha de Camões. Feita toda com materiais recicláveis, a madeira e o telhado vieram de materiais achados na rua e nos descartes da vizinhança.


"Esse jardinete tem o nome do Poeta Leonardo Henke, que morou a duas quadras da praça na Rua Camões".


Hemingway e Italo Calvino estavam entre as doações de livros.


A Minibiblioteca Ilha de Camões despertou o carinho de todos. Várias mãos, vários sorrisos, inúmeros leitores.


A plaquinha que a Rita fez para indicar as orientações da Minibiblioteca.


O Dráuzio e a Rita montaram também um varal de poesias maravilhosas, que alegrou e inspirou os participantes da inauguração.


Vizinhos, amigos, pessoas que estavam passando na hora, curiosos, todos vieram prestigiar a aglomeração de pessoas em torno daquela caixinha encantada.


Os Lusíadas na Minibiblioteca Ilha de Camões (Foto: Ana Cecilia).


Na pracinha, quando você olha pra cima, tem essa visão incrível de várias árvores, que necessitam ser preservadas não só nos bairros do Hugo Lange ou no Alto da XV, mas em toda Curitiba. Que visão! Temos que ter mais praças ocupadas e preservadas em nossas cidades.



Essa placa foi fixada pela Rita e pelo Dráuzio na ciclovia que fica bem em frente do Jardinete Poeta Leonardo Henke, para que o pessoal que costuma correr, caminhar e andar de bicicleta por ali fique sabendo da presença de sua mais nova vizinha: a minibiblioteca!


Ilustre presença: O livreiro mais antigo e mais conhecido de Curitiba, Aramis Chain, esteve presente na inauguração da Minibiblioteca Ilha de Camões, e ficou encantado com ela que considerou maravilhosa, e deu muita força para a iniciativa. Valeu Chain!!!


O Dráuzio levou o violão e deixou à disposição de quem quisesse declamar uma poesia em forma de canção. O Igor Menezes e a Cristiane foram conhecer a Minibiblioteca e aproveitaram para fazer uma jam session acústica.


Os detalhes da pintura especial: Camões em sua ilha particular de leitura pelo prazer de ler.

Smurf Poeta

O Dráuzio teve a ideia e a Rita desenhou. Quanto carinho depositado nessa minibiblioteca que já é tão querida de todos.


A Minibiblioteca Ilha de Camões utiliza a arte da iniciativa "Leia, Empreste ou Devolva" do blog Bibliotecas do Brasil, que pode ser utilizada por qualquer pessoa que queira iniciar sua própria biblioteca livre de maneira independente.


Arqueologia do patrimônio cultural:  Dráuzio contou que "infelizmente a prefeitura demoliu uma estrutura que havia na praça, símbolo da região que homenageava os poetas e especificamente o poeta Leonardo Henke, que morava na Rua Camões para dar lugar à uma academia ao ar livre. Nem a placa ficou imune e também virou entulho, da qual achei pedaços no mato 4 meses depois". Na tentativa de manter a memória e o valor cultural da homenagem prestada ao poeta do bairro Hugo Lange, Dráuzio juntou os pedaços da placa e levou para expor na inauguração da Minibiblioteca, além de uma biografia do poeta Leonardo Henke e a lei que criou a homenagem, para que todos tivessem a oportunidade de saber quem ele foi. 

Luca Rischbieter também compareceu para doar poesia.


O Jardinete Poeta Leonardo Henke ficou movimentado na manhã desse domingo. A ideia é continuar a promover esses encontros nos próximos domingos, mas a minibiblioteca funcionará 24 horas por dia!

Foto: Rita/Dráuzio (Minibiblioteca Ilha de Camões)

As árvores que vão ajudar a proteger a Minibiblioteca Ilha de Camões.

Texto e fotos: Daniele Carneiro e Juliano Rocha - Bibliotecas do Brasil
contato@bibliotecasdobrasil.com

Leia mais:

VocÊ pode gostar também

0 comentários

Subscribe